Amamentação: um pouco do que você precisa saber para amamentar seu bebê

Amamentação: um pouco do que você precisa saber para amamentar seu bebê

O leite materno é um alimento completo, composto por gordura, sais minerais, vitaminas, ferro, carboidratos, proteínas, prebióticos, hormônios, enzimas e, o mais importante, anticorpos. Ele é responsável por preencher todas as necessidades do organismo do bebê até o 6º mês de vida, dispensando até mesmo a oferta de água neste período. O leite materno torna o bebê mais resistente às infecções e outras doenças.

O que é preciso para produzir leite?

Descanso, tranquilidade, conforto e segurança. Parece uma combinação fácil de ser atingida, mas nem sempre é. Até que a amamentação seja estabelecida, escolha um local mais calmo, longe das visitas e confortável. Peça ajuda da sua rede de apoio para cuidar do restante, inclusive de você.

Uma boa alimentação, rica em nutrientes, também é importante. Ingerir pelo menos 2,5 litros de líquido auxiliará na produção do leite. Consumir frutas e vegetais ricos em vitamina A, geralmente aqueles de cor amarelo e laranja, é outra dica importante. Além disso, indicamos também uma alimentação rica em cereais integrais, que são compostos por carboidratos complexos, fibras, vitaminas, minerais e fitonutrientes. Esse tipo de alimento tem baixo teor de gorduras e, quando usados em combinação com feijão e outras leguminosas, tornam-se uma boa fonte de proteínas. E o melhor, auxiliam a diminuir a compulsão por doces!

Como é produzido o leite?

Antes mesmo de o bebê nascer, seu corpo já estará se preparando para amamentar. Os dois principais hormônios da gravidez, Estrogênio e Progesterona, estarão agindo também nos seios, sendo responsáveis pelo aumento dos alvéolos e ductos para a lactação presentes dentro da mama. Esse aumento fará com que a mama aumente de tamanho, se preparando para a nova função. Após o parto, esses dois hormônios deixarão de ser produzidos e dará início à produção da Prolactina, que será estimulada pela sucção do bebê. A sucção também estimulará a produção de Ocitocina, hormônio responsável, entre outras coisas, pela descida do leite e ejeção.

Sabendo de tudo isso, fica fácil entender porque mulheres com mama pequena também amamentam bem seus filhos. A mama é fábrica e não reservatório de leite!

Mas se a natureza já pensou em tudo, por que dizem ser tão difícil amamentar?

Amamentar é um aprendizado construído. O bebê já nasce com o que chamamos de “reflexo de sucção”. Com ele, seu filho é capaz de sugar seu leite, mas isso não garante a pega correta. Seguir algumas orientações pode ajudar alcançar o sucesso e tornar esse momento muito prazeroso!

Preparando o ambiente.

Antes de sentar para amamentar, verifique se está tudo certinho. Água para beber em fácil acesso (amamentar dá sede!), almofada de amamentação, relógio próximo para anotar o tempo de mamada, ambiente calmo e tranquilo.

Posicionamento adequado da mãe para amamentar.

Escolha uma poltrona confortável, onde sua coxa fique paralela ao solo e seus pés bem apoiados. Encoste bem as costas, de forma que não fique inclinada. Se necessário, use uma almofadinha na região lombar. Utilize uma almofada ou travesseiros para elevar o bebê na altura da mama, pois é ele que deve ir até a mama e não o contrário. Essa elevação ajudará a diminuir a tensão da musculatura dos ombros e cervical.

Favorecendo a pega correta.

Para que a mamada seja efetiva e sem dor, é necessário que proporcionemos ao bebê posicionamento adequado, incluindo o da cabeça e da boca. O correto é que a boca do seu filho esteja bem aberta para abranger o máximo da aréola possível, estimulando os seios e ductos e sugando mais leite. Uma forma de fazer isso é umedecer a aréola com seu leite e estimular o canto dos lábios do bebê com o bico do peito.

Favorecendo a pegada correta

Para que a mamada seja efetiva, devemos ter:

  • bebê com boca de peixinho, com lábios voltados para fora;
  • queixo encostado no peito;
  • nariz bastante próximo do peito;
  • boca do bebê envolvendo grande parte da aréola e não apenas o bico;
  • bochechas arredondadas de leite;
  • barriga e tronco voltados para mãe;
  • mamada silenciosa.

Como posicionar o bebê?

1 – Posição tradicional

Com a almofada de amamentação ou travesseiro sobre o colo, posicione a cabeça do bebê na dobra do cotovelo, mantendo seu braço ao longo do tronco e sua mão no bumbum do bebê. Lembre-se que a barriguinha do seu filho deve estar em contato com a sua, ou seja, mantenha-o “de lado”.

Amamentação - Posição tradicional
Amamentação - Posição invertida

2 – Posição invertida

Com a almofada de amamentação ou travesseiro sobre o colo, posicione o bebê na sua lateral, apoiado na almofada. Com a mão sob a cabeça do seu filho, posicione-o em sua mama. Mantenha a barriga do pequeno voltada para seu tronco, enquanto seu braço dá apoio e sustentação ao corpo do bebê.

3 – Posição cavaleiro

Nesta posição dispensamos o uso de almofadas ou travesseiros. Posicione o bebê sobre uma das suas pernas. Apoie as costas dele com seu braço. Com a outra mão, apoie a cabeça dando maior sustentação à nuca. Com o tempo e desenvolvimento do seu bebê, não será mais necessário apoiar a cabecinha.

Amamentação - Posição cavaleiro

Quer se preparar melhor para esta fase ou precisa de ajuda para lidar com tantos desafios novos? Saiba mais sobre nosso curso de formação para pais gestantes.

Sem Comentários

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será exibido.